O que é um eSIM?

Caso tenha adquirido um telemóvel novo na última década, é provável que já esteja familiarizado com o SIM – o pequeno cartão do tamanho de uma miniatura utilizado para se ligar à rede celular da sua operadora. Contudo, nos últimos anos, fabricantes de smartphones e operadoras têm vindo a substituí-los por algo denominado eSIM.

O “e” em eSIM representa “embutido”, o que faz sentido, uma vez que este é um cartão SIM que permanece dentro do seu telefone e não pode ser removido. Desempenha a mesma função de um cartão SIM tradicional, mas com a particularidade de estar programado e conectado fisicamente (soldado) à placa-mãe do seu smartphone.

Esta abordagem pode, à primeira vista, parecer problemática. Por exemplo, ao viajar para o estrangeiro com telefones que possuem cartões SIM removíveis, é possível trocar para o cartão SIM de outra operadora para obter cobertura local e evitar o pagamento de taxas de roaming da sua operadora principal. Da mesma forma, se desejar mudar de operadora local mantendo o mesmo telefone, um cartão SIM removível pode ser retirado e substituído facilmente por um novo em questão de segundos. A primeira impressão pode sugerir que tal feito é impossível com um eSIM.

Contudo, a tecnologia eSIM, na realidade, facilita ainda mais a troca de operadoras. Ao invés de aguardar o envio de um novo cartão SIM ou visitar uma loja local para adquirir um, é possível realizar a troca diretamente no seu telefone, inserindo informações fornecidas pela sua operadora – muitas vezes, por meio da simples leitura de um código QR com a câmera do seu smartphone. Caso o seu smartphone possua um eSIM, encontrará opções nas configurações que permitem configurar o seu eSIM, alternar entre linhas e operadoras, bem como gerenciar as suas contas. Se é um utilizador de dual-SIM, a tecnologia eSIM pode até mesmo oferecer suporte para múltiplas contas, sendo a transição entre elas extremamente simples.

Infelizmente, embora a obtenção de um eSIM deva ser mais fácil do que a de um SIM físico, isso nem sempre é o caso. Algumas operadoras demoraram mais do que outras para adotar a praticidade do eSIM, sendo comum encontrar algumas que ainda optam por enviar os códigos do eSIM pelo correio ou exigem que o utilizador visite uma loja antes de configurar o telefone. Isso acaba por anular uma das maiores vantagens do uso de um eSIM, mas felizmente, a maioria das operadoras está a trabalhar rapidamente para se adequar aos tempos atuais.

Outra significativa vantagem da tecnologia eSIM é a economia de espaço proporcionada pela remoção da bandeja física do SIM. Os dispositivos podem ser mais compactos, uma vez que o chip eSIM está incorporado à placa-mãe do dispositivo – não há espaço desnecessário ocupado por uma fenda e bandeja na borda externa do dispositivo. Tal abordagem permite designs mais finos e baterias maiores, além de contribuir para a melhoria da resistência à água, eliminando mais um local por onde a umidade poderia penetrar no seu telefone.

Dispositivos com tecnologia eSIM

Todos os principais fabricantes de smartphones agora oferecem tecnologia eSIM nos seus telefones: os iPhones da Apple a têm (incluindo, é claro, o recentemente lançado iPhone 15), os dispositivos Samsung Galaxy a têm, os telefones Google Pixel a têm, e os principais telefones da Motorola a têm. Ao adquirir um novo dispositivo, as chances são grandes de que terá funcionalidade eSIM à sua disposição. Muitos tablets e relógios também incluem tecnologia eSIM, como é o caso dos Apple Watches e iPads.

Falando em Apple, todos os iPhones do iPhone 13 em diante oferecem suporte para o uso de dois cartões eSIM, permitindo que os utilizadores usufruam do suporte para dual-SIM sem a necessidade de um cartão SIM físico. De facto, a Apple removeu completamente o slot do cartão SIM físico para os modelos dos EUA da linha iPhone 14, tornando o eSIM a única maneira de ativar o seu iPhone 14 em uma rede de operadora.

Os modelos iPhone 14 vendidos na maioria dos outros países ainda incluem dois cartões eSIM e um slot para cartão SIM físico, assim como o iPhone 13. A exceção notável a essa regra é a China, onde o eSIM nunca foi incluído em um iPhone. Em vez disso, quando a Apple lançou o iPhone XS/XR na China, ela forneceu dois slots para cartões SIM físicos. Essa prática continuou até hoje.

Entretanto, se estiver nos EUA e desejar um slot para cartão SIM físico no seu iPhone 14, há algo que deve ser considerado antes de realizar viagens transfronteiriças para o Canadá ou México. Embora todos os modelos de iPhone na América do Norte suportem as mesmas frequências 4G/LTE, 5G de banda baixa e 5G de banda média, apenas os modelos de iPhone dos EUA oferecem suporte ao 5G de onda milimétrica utilizado nas partes mais rápidas do 5G Ultra Wideband da Verizon e na cobertura 5G Plus da AT&T.

Quando posso começar a usar um eSIM?

É bastante provável que o seu dispositivo móvel já possua um cartão eSIM, conforme explicado anteriormente. Laptops com conectividade celular geralmente utilizam a tecnologia eSIM, como é o caso do Surface Pro X e diversos modelos de Acer, Asus, Dell, HP, Lenovo e Samsung. Embora ainda existam casos nos quais cartões SIM são empregados em designs de laptops, tal prática está a tornar-se cada vez menos comum.

Até que a tecnologia eSIM se torne o padrão universal, muitos telefones ainda contarão com uma bandeja destinada a um cartão SIM removível. Não há problema em utilizar esses telefones, sendo essa apenas uma forma mais antiquada de identificação na rede da operadora. Contudo, trocar um cartão SIM pode ser problemático, dada a sua dimensão e os delicados circuitos que não devem ser tocados. Gerenciar um eSIM é mais fácil para todos, quer seja ao trocar de telefone ou mudar para outra operadora.

Se estiver a utilizar um telefone dual-SIM com um cartão SIM físico e um eSIM, como um iPhone ou Google Pixel, também poderá transferir as informações do seu cartão SIM físico diretamente para o seu eSIM. Muitas operadoras permitem esse procedimento, e iOS e Android fornecem ferramentas para torná-lo rápido e fácil. Após completar esse processo, será possível descartar o antigo cartão SIM e liberar o slot para um cartão SIM físico ao viajar.

Embora seja aconselhável verificar antecipadamente, é possível que surpreenda ao descobrir a quantidade de operadoras internacionais que oferecem suporte ao eSIM. Difícil é argumentar que não é consideravelmente mais fácil escanear um código QR do que tentar trocar um pequeno e frágil cartão SIM, especialmente ao viajar por um aeroporto movimentado.

eSIM em Portugal

Em 2022 a tecnologia eSIM já se encontrava disponível em Portugal, com alguns operadores a oferecerem suporte a essa funcionalidade. Entre os principais operadores em Portugal, como Vodafone, NOS e MEO, a eSIM estava a ser implementada gradualmente, proporcionando aos utilizadores a conveniência de ativar serviços de rede sem a necessidade de um cartão físico.

No entanto, para obter informações mais precisas e atualizadas sobre o estado atual da implementação da eSIM em Portugal e quais operadores a suportam, é recomendável verificar diretamente junto dos operadores locais. Consultar os sites oficiais ou entrar em contacto com o serviço de apoio ao cliente pode fornecer dados mais recentes sobre dispositivos compatíveis, planos disponíveis e instruções para ativar a eSIM nos respetivos serviços.

eSIM nos Android

A Google tomou uma excelente decisão ao optar por realizar lançamentos trimestrais da plataforma, o que lhe permitiu introduzir novas funcionalidades sem ter de aguardar por atualizações mais abrangentes. Agora, o Android está a preparar-se para finalmente disponibilizar uma funcionalidade que permitirá converter o seu cartão SIM físico para um eSIM sem ter de passar por vários obstáculos.

A Google pretende proporcionar uma experiência super fácil na conversão do seu cartão SIM físico para eSIM com futuras versões do Android.

Uma funcionalidade semelhante já está disponível nos iPhones. Por exemplo, ao mudar de um iPhone mais antigo para um mais recente que apenas possui uma ranhura para eSIM, é solicitado que converta o seu cartão SIM físico para um eSIM. Isso proporciona uma experiência muito mais segura, conveniente e sem complicações em comparação com algumas outras opções, e a melhor parte é que agora esta funcionalidade está a caminho dos dispositivos Android também.

Aparentemente, a Google está a trabalhar numa funcionalidade de Conversão para eSIM. Esta funcionalidade foi detetada há algum tempo, mas agora está disponível na última versão beta do QPR 2. Ainda não está funcional, mas dado que já é visível no telefone, significa que não terá de esperar muito tempo até poder aceder a ela. Importa salientar que estou a referir-me à versão pura do Android. Isso significa que levará algum tempo até que a mesma funcionalidade comece a ser implementada em outras interfaces de utilizador (skins) de fabricantes de equipamentos originais (OEMs). A boa notícia é que a Google está a trabalhar nisso e, com sorte, não teremos de esperar muito tempo até vermos esta funcionalidade a aparecer em todos os dispositivos suportados.

Perguntas Frequentes

O que é um eSIM e como ele funciona?

Um eSIM é um cartão SIM embutido que permanece dentro do seu telefone, diferenciando-se de um cartão SIM tradicional, que pode ser fisicamente removido do telefone. O eSIM desempenha a mesma função que um SIM físico: permite que se conecte à rede celular da sua operadora e a um plano.

Qual é a desvantagem do eSIM?

À primeira vista, a desvantagem da tecnologia eSIM é que, por não poder ser removida fisicamente, a troca rápida de cartões SIM ao viajar para obter cobertura local de uma operadora diferente pode ser mais difícil. Na realidade, isso facilita ainda mais a troca de operadoras, uma vez que mudar para um novo SIM é tão simples quanto escanear um código QR do seu telefone.

Por que alguém usaria um eSIM?

A razão para utilizar um eSIM é que ele facilita a troca entre operadoras. Ao invés de trocar delicadamente os cartões SIM físicos, fáceis de perder (ou danificar), tudo o que é necessário fazer é escanear um código QR para obter cobertura de uma operadora diferente. A mudança de operadora, dados ou plano do seu celular é gerenciada por meio de software.

Deixe um comentário